Governo de Goiás apresenta projeto de Educação Profissional e Tecnológica para alunos de Ensino Médio em Tempo Integral

Projeto-piloto foi apresentado nesta quinta-feira (26/10), em encontro com gestores escolares. Ao todo, 14 Centros de Ensino em Período Integral ofertarão curso de Desenvolvimento Web e Cibersegurança a partir de 2024

O Governo de Goiás, por meio das secretarias de Estado da Educação (Seduc/GO) e de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti/GO), apresentou, nesta quinta-feira (26/10), o projeto “Jornada para o Futuro”. A ação, destinada aos estudantes de Ensino Médio em tempo integral, visa ampliar a oferta de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) na rede pública estadual de ensino.

Inicialmente, o projeto será implementado em 14 Centros de Ensino em Período Integral (Cepis) e contará com o apoio das Escolas do Futuro de Goiás (EFGs). Dentro do projeto, os alunos terão acesso às disciplinas da Educação Básica e poderão cursar, concomitantemente ao Ensino Médio, o curso técnico de Desenvolvimento Web e Cibersegurança.

“O que nós estamos fazendo aqui é ampliando oportunidades. É um curso que vai tratar sobre a segurança na web, que vai tratar de programação e de um conjunto de elementos em torno da inovação e da tecnologia para que a gente projete esses estudantes justamente para esse mundo da inteligência artificial, da criação de soluções”, explica a diretora pedagógica da Seduc/GO, Márcia Antunes.

A implementação, no entanto, não será padrão para todos os Cepis. No grupo A, composto por nove escolas, tanto a formação geral básica quanto a formação técnica serão ofertadas dentro do Cepi. No grupo B, composto por uma escola, a formação geral básica será realizada no Cepi e a formação técnica será realizada na Escola do Futuro. Já no grupo C, composto por quatro escolas, toda a formação será ofertada nas Escolas do Futuro. 

Em todos os grupos, as disciplinas que compõem a formação geral básica e a parte diversificada dos currículos continuarão sendo ofertadas por professores de área, vinculados à Seduc/GO. Já a formação técnica profissionalizante ficará a cargo de professores técnicos, vinculados às EFGs. A única distinção será o ambiente em que as aulas serão ministradas, que variam entre os Cepis e as Escolas do Futuro.

“A gente está testando, também, essa forma de gestão compartilhada entre duas escolas e entre duas Secretarias. Até mesmo para a gente trabalhar com essa ideia de inovação da gestão, que é uma ideia mais de horizontalidade, de formação de lideranças, dentro dessa perspectiva”, ressalta Márcia Antunes.

A ideia é que o projeto entre em funcionamento a partir de 2024, abrindo a possibilidade para que estudantes novos e veteranos possam se inscrever na formação. Os interessados deverão preencher uma ficha de inscrição e participar de uma entrevista que avaliará o interesse e o engajamento dos estudantes em relação ao curso.

Qualificação

O projeto “Jornada para o Futuro” possibilitará que os alunos tenham acesso a qualificações profissionais e à certificação técnica em Desenvolvimento Web e Cybersecurity. Ao final de cada módulo, serão emitidas as qualificações profissionais. Caso o estudante conclua os quatro módulos, terá acesso à certificação técnica.

Na 1ª série, os estudantes começarão aprendendo a construir um site e toda a sua parte visual, recebendo a qualificação de Desenvolvedor Front-End.

Na 2ª série, eles conhecerão tudo o que há por trás do funcionamento de uma página web, recebendo a qualificação de Desenvolvedor Back-End.

Já na 3ª série, os estudantes aprenderão como proteger dados e informações de ataques externos, além de se aprofundarem na computação em nuvem. A conclusão dessa série possibilitará o acesso às qualificações de Assistente em Cyber Security e Assistente em Cloud Computing.

Expectativa

Para as gestoras do Cepi Marajó, Renata Kelly Almeida Amorim, e da EFG Paulo Renato de Souza, Alcione Martins, o projeto se inicia cheio de expectativas.

Renata Kelly, que atende cerca de 350 alunos de Ensino Médio, vê na ação a possibilidade de promover crescimento para o município de Valparaíso. “Nossos estudantes estão sempre dispostos a fazerem o melhor pelo município, então nós estamos muito felizes por termos sido contemplados. Eu creio que muitas coisas inovadoras estão por vir”.

Já Alcione Martins, que receberá os estudantes matriculados no projeto na EFG Paulo Renato de Souza, enxerga na formação a possibilidade de apresentar novas oportunidades para a comunidade escolar.

“Para nós é uma honra participar desse projeto inovador e receber esses alunos lá na escola. Vai ser um desafio muito grande, porque os alunos das Escolas do Futuro são, em sua maioria, noturnos. Então, a escola vai passar a ser escola durante o dia. É algo novo, mas que a gente espera e busca que todos os alunos do Ensino Médio estejam lá com a gente”, conclui. (Texto: Ana Carolina Jobim/Comunicação Setorial da Seduc/GO - Fotos: Cássio Rodrigues)

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.