Projeto desenvolvido na rede estadual de Educação é destaque na 13ª edição do programa Agrinho

Ação desenvolvida pela Escola Estadual Luiz Gonzaga Sobrinho, de Goianésia, foi eleita a melhor dentre as participantes. Outras unidades da rede estadual também se destacaram entre as premiadas

Estudantes de Ensino Fundamental da rede pública estadual de Educação participaram, na manhã desta sexta-feira (18/11), da cerimônia de premiação da 13ª edição do Programa Agrinho, promovido pelo Sistema Faeg/Senar/Ifag.

Destinado às escolas das redes públicas e privada, o Agrinho busca desenvolver ações sob o lema “Saber e atuar para melhorar o mundo”. A cada edição é trabalhada uma temática específica, que inspira a produção de trabalhos nas categorias Desenho Especial, Município Agrinho e Redação.

Em sua 13ª edição, o Agrinho desafiou professores e estudantes do Ensino Fundamental a inscreveram produções com o tema “Inovação no campo e na cidade com tecnologia e sustentabilidade”, desenvolvidas nos anos de 2020, 2021 e 2022.

“O Agrinho é a nossa menina dos olhos, é o melhor e mais importante programa que nós desenvolvemos. Meu muito obrigado aos diretores, aos professores, a todas as equipes das escolas, os alunos, os pais dos alunos que se empenham para desenvolver ações em todo estado pautados pelo nosso Agrinho e que acreditam no Sistema Faeg/ Senar/ Ifag. Se não fossem vocês, nós não estaríamos aqui comemorando esses 15 anos de sucesso, levando Educação e contribuindo para uma região, uma cidade, um estado melhores”, afirmou o presidente do Sistema Faeg/Senar/Ifag, José Mário Schreiner.

Destaque

O destaque desta edição foi a Escola Estadual Luiz Gonzaga Sobrinho, do município de Goianésia, premiada na Categoria Município Agrinho com um carro zero Km. O prêmio consagra o projeto “O Agrinho, a Escola e a Tecnologia”, desenvolvido pela escola e que incluiu atividades de leitura e arte, além do uso do aplicativo do Programa.

Comunicação Sistema Faeg/Senar/Ifag

A unidade também obteve premiações nas categorias Redação 7º ano do Ensino Fundamental, com a produção da aluna Letícia Damasceno Rosa Silva; 8º ano do Ensino Fundamental, com a estudante Ellisa Vitorya Silva; e 9º ano do Ensino Fundamental, com a aluna Júlia Beatriz de Oliveira Camargo.

Outra unidade escolar da rede estadual com bom número de premiações foi o Centro de Ensino em Período Integral (Cepi) Professor Alcides Jubé, da cidade de Goiás. Os representantes da escola aguardavam ansiosos a premiação, acompanhados pelo coordenador regional de Educação da Cidade de Goiás, Jonas Carlos Berquó.

“O Agrinho, para nossas escolas, já virou um concurso cuja participação é garantida em todas as edições. São temas que todo mundo gosta de trabalhar, os alunos gostam de desenvolver seus trabalhos e que são de extrema importância para nós. Levarmos esse conteúdo para dentro da escola, fazer com que o aluno, além de participar, tenha essa consciência ambiental e sustentável para a produção de alimentos, para a sua vida na comunidade, é fundamental”, comentou o coordenador antes da premiação.

Para a professora Rosimary de Moura Rodrigues, que atende alunos da Educação Especial no Cepi Professor Alcides Jubé, o destaque da premiação foi a inclusão promovida. “Foi simplesmente incrível o trabalho que nós desenvolvemos na escola enquanto equipe, porque envolveu todos os alunos, inclusive aqueles com necessidades educacionais especiais”.

Também foram premiadas na categoria Redação a Escola Estadual Dona Maricota, de Palmeiras de Goiás; a Escola Estadual Washington Barros Franca, de Jataí; e o Colégio Estadual Martins Borges, de Rio Verde.

Confira aqui o resultado

 *Com informações da Comunicação Sistema Faeg/Senar/Ifag

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.