Tecnologia potencializa ensino de artes visuais

Alunos e professores da rede estadual de ensino estão experimentando uma novidade: o uso de jogos para o ensino-aprendizagem de Artes Visuais. Ligado ao Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce), o professor Santiago Lemos, mestre em Educação, desenvolveu o aplicativo Dalí eX. Trata-se de um jogo de interpretação de personagens, conhecido como RPG (Role-Playing Game), inspirado na vida e obra do artista espanhol Salvador Dalí.

Santiago Lemos é professor no Colégio Agenor Cardoso de Oliveira, da rede pública estadual, em Goiânia, e do programa de formação continuada da Seduce. Neste semestre, ele começou a utilizar o aplicativo, desenvolvido durante seu mestrado, com estudantes de 10 a 15 anos, sempre com a autorização de coordenadores para o uso de celulares em sala de aula.

O contato com as obras do pintor espanhol por meio do jogo, explica Santiago, desperta olhares e experimentações. Esse é o motivo da escolha de Salvador Dalí, um dos principais representantes do surrealismo, movimento artístico e literário nascido em Paris na década de 1920. Conhecido por sua extravagância, Dalí é autor do famoso quadro A Persistência da Memória, com imagens de relógios derretidos que nos leva à reflexão sobre o tempo e a memória.

“Dalí experimentava muito. Ele era pintor, escultor, fazia instalações e vídeos, fazia muita coisa e no jogo a gente fala dessa educação estética”. Com o exemplo do artista, os estudantes são motivados a também experimentar e conhecer uma cultura mais diversificada, ir além daquela disseminada pelos meios de comunicação. “O aluno é estimulado a conhecer outros estilos musicais, fotografias e artes”.

O conteúdo e a conscientização do estudante acontecem de forma natural, a partir da narrativa utilizada e das reproduções de obras do artista na estrutura do jogo. O aplicativo Dalí eX tem quatro fases. A primeira é um tutorial do jogo, a segunda dialoga com a educação estética, a terceira tem foco no ensino de Artes Visuais e a quarta é o desfecho do enredo. “O estudante (jogador) entra em contato com um conteúdo que seria exposto em um livro de forma linear em uma aula expositiva”, reforça Santiago Lemos.

Depois da familiarização com a obra a partir do jogo, o conteúdo de Artes Visuais é complementado em sala de aula pelo professor. “São abordados o surrealismo e outros artistas desta vanguarda”. Com a inclusão do aplicativo, observa o educador, os alunos conseguem fazer assimilações do conteúdo discutido em sala de aula com o que é visto no jogo, tornando o tema em estudo mais atraente.

O trabalho do professor da Seduce chamou a atenção do Ministério da Educação. Em maio, Santiago Lemos apresentou a ideia do aplicativo em entrevista ao programa ‘Educação no Ar’, da TV MEC. Outro reforço na divulgação é ‘La Casa de Papel’, série hoje de muito sucesso e que usa máscaras com o rosto de Salvador Dalí em seus personagens. “Mas o jogo surgiu bem antes”, completa o professor.

Goiânia, 19 de junho de 2018.

Comunicação Setorial da Seduce

[gallery ids="14666,14665,14664"]

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies , ao continuar navegando, você concorda com estas condições.