Fale Conosco

62 3220-9500

Tags:, , ,

Projeto de biofertilizante de alunos do Cepi Dom Veloso recebe mais uma premiação nacional

educacao
23 de abril de 2020

O trabalho científico que propõe a reutilização do soro de leite bovino como fertilizante natural, desenvolvido por três estudantes do Ensino Médio do Cepi Dom Veloso, em Itumbiara, novamente ganha destaque nacional.

Desta vez, o projeto orientado pela professora Ayanda Ferreira Nascimento Lima foi um dos finalistas da 18° Feira de Ciências e Engenharia (Febrace) 2020, recebendo o prêmio ‘Destaque de Incentivo à Pesquisa Científica da Abritec (Associação Brasileira de Incentivo à Tecnologia e Ciência).

Iniciada em 2018, a pesquisa intitulada “Desenvolvimento Inicial da Cana-de-Açúcar Cultivada em Solo, Tratada com Soro de Leite Bovino” é um dos quatro projetos finalistas de Goiás no prêmio Febrace, sendo o único representante da rede pública goiana.

Estímulo
A pesquisa vem sendo desenvolvida pelos estudantes Iago Lima Prado, Yasmin Campos Flausino e Milena Gabrielle Sousa Silva desde a primeira série do Ensino Médio, sempre sob a orientação da professora Ayanda Nascimento.

Iago conta que neste ano, devido às restrições impostas pelo coronavírus, a cerimônia de premiação do prêmio Febrace foi realizada de forma virtual. Antes, o evento era promovido na Universidade de São Paulo (USP), com ampla programação cultural e científica.

O estudante considera de suma importância ver o projeto de sua escola ganhar reconhecimento e visibilidade nacional e internacional. “Para nós, alunos da rede pública, isso representa um estímulo muito grande. Especialmente agora em meio a tanto caos. Ver o nosso trabalho ser novamente premiado nos faz sentir que a nossa luta, dedicação e esforço não foram em vão”.

Sobre o projeto
Iago Lima Prado explica que a ideia de elaborar e desenvolver o projeto surgiu por acaso, a partir de uma conversa informal entre os alunos. O grupo comentava sobre os danos ambientais causados pelo descarte irregular do soro do leite bovino na natureza.

O trabalho dos alunos ganhou caráter inovador ao propor o uso do soro do leite bovino como base para a produção de biofertilizante, usado experimentalmente em plantações de cana-de-açúcar.

Iago explica que a proposta do projeto era encontrar uma destinação mais sustentável para o soro do leite bovino, substância descartada em grandes quantidades pelas empresas de laticínios e produtores rurais da região de Itumbiara.

Em termos de cultivo, Iago diz que a cana-de-açúcar, tratada com soro de leite, tem crescimento bem mais rápido e apresenta uma qualidade muito melhor. “Aplicado corretamente, temos aí um produto natural que é uma rica fonte de nutrientes para o solo”, acrescenta ele.

O estudante conta que a pesquisa foi realizada em duas etapas. A primeira foi desenvolvida em uma área aberta da própria unidade escolar, e a fase seguinte em uma chácara próxima ao Cepi, de propriedade da família de uma das participantes do projeto.

Respeito ao meio ambiente
“Comparamos os resultados do fertilizante natural com os produtos industrializados, que são muito mais caros e ainda prejudicam o solo e o meio ambiente. Nesse comparativo, descobrimos que o soro do leite pode ser considerado um excelente fertilizante natural por ser rico em vitaminas, proteínas e aminoácidos”, afirma a professora Ayanda Nascimento.
Segundo a orientadora do estudo, mais de 60% dos produtores agrícolas e laticínios do município já adotaram a ideia, que representa menos prejuízos ambientais e mais economia para ambos.

Prêmio Prudential
No ano passado, o projeto dos três estudantes foi um dos selecionados para a 24° edição da Feira Ciência Jovem de Recife, conquistando o terceiro lugar na etapa final.

Em dezembro de 2019, outra excelente notícia para os alunos e professores do Cepi Dom Veloso. O trabalho científico conquistou o primeiro lugar na final do prêmio Prudential Espírito Comunitário, promovido pela empresa de seguros Prudential.

O prêmio é realizado em vários países e seleciona estudantes do mundo inteiro para um encontro anual de jovens voluntários nos Estados Unidos. A viagem, com todas as despesas pagas, estava programada para o mês de maio de 2020, mas por conta da pandemia do coronavírus, ainda não se sabe quando será a edição do evento deste ano.

Comitiva brasileira
O estudante Iago Lima Prado foi o escolhido para representar o projeto de sua escola e integrar a comitiva formada por outros nove alunos brasileiros. No dia 10 de dezembro de 2019, ele foi ao Rio de Janeiro participar da cerimônia de premiação da Prudential, que inclui também um prêmio no valor de R$ 25 mil. O dinheiro, segundo ele, será utilizado para novas pesquisas na unidade escolar.

Iago faz questão de ressaltar o apoio recebido, durante toda a pesquisa, da  professora Ayanda Nascimento. “Foi ela que nos levou a conhecer, de fato, a importância da ciência, e também a não desistir e lutar sempre por ela [a ciência].  Aprendemos com ela [Ayanda] tudo para um início de vida acadêmica”.