Governo de Goiás entrega 232 aparelhos de TV de 58’ e caixas de som para escolas do programa GoiásTec

Equipamentos serão utilizados nas aulas do Ensino Médio por meio de mediação tecnológica. Atualmente existem mais de 4.300 estudantes matriculados em 73 municípios

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Educação do Estado, fez a entrega nesta quinta-feira, (29/07), de 232 novos aparelhos de TV de 58’ e caixas de som, para garantir ainda mais qualidade às aulas transmitidas pelo programa GoiasTec.

Os equipamentos foram entregues pela secretária Fátima Gavioli para cinco gestores escolares, que representaram simbolicamente os demais diretores das unidades escolares contempladas.

Os equipamentos são de última geração e serão instalados nas salas de aula que atendem hoje 4.235 alunos, distribuídos em 235 turmas da 1ª e 2ª série do Ensino Médio, em 73 municípios. Os diretores que receberam as TVs e caixas de som foram Maria Ivone de Oliveira Batista, do Colégio Estadual Josino Silva, em Amaralina (CRE de Uruaçu); Renato Oliveira, da Escola Estadual Dom Pedro II, em Vila Propício (CRE de Goianésia); Enivaldo Pinheiro da Silva, do C. E. Professor Francisco Modesto, em Montes Claros (CRE de Jussara); Maciel Aparecido, da E. E. Dom Emanuel (CRE de Silvânia); e Leila Alves, da E. E. Edson Aires Pereira, povoado do Oriente, em Nova Glória (CRE de Rubiataba).

A secretária Fátima Gavioli lembrou que, no primeiro semestre de 2021, o Governo de Goiás já havia feito investimentos para a instalação de 100 antenas de internet via satélite nas regiões onde estão localizadas as escolas que ofertam o programa, de forma a garantir mais qualidade na transmissão das aulas.

Uso da tecnologia

“A educação exige inovação e nós temos a tecnologia como grande aliada. Por isso, o Governo de Goiás, nesse momento, faz a entrega desses equipamentos. E no final de agosto, vamos entregar também um Chromebook para cada aluno matriculado nesse programa, com o intuito de auxiliar em seu processo de aprendizagem”, destacou a secretária de Educação.

Fátima Gavioli ressaltou ainda que o GoiásTec representa a possibilidade de universalizar o Ensino Médio, levando-o para todas as regiões do Estado, independente do número de alunos naquela localidade. “Em cada sala de aula nós temos uma mediadora ou mediador, que contará agora com esses novos equipamentos. E aqui, em Goiânia, temos o estúdio, onde estão professores, com mestrado e doutorado em várias áreas”.

As aulas do programa serão retomadas já na próxima segunda-feira, dia 2 de agosto. Pela manhã, elas são transmitidas ao vivo e nos períodos da tarde e noite, podem ser acessadas por meio do Youtube. De acordo com a secretária, um aspecto importante do GoiasTec é trazer de volta, às salas de aula, aquele aluno que já havia desistido de estudar pelas dificuldades encontradas no dia a dia.

Inspiração em Rondônia

Segundo Fátima Gavioli, a experiência exitosa em Goiás foi inspirada no programa Mediação Tecnológica, que já era um sucesso no Amazonas e em Rondônia. Estados que registravam altas taxas de evasão escolar no Ensino Médio por causa das longas distâncias que os jovens eram obrigados a percorrer para chegar às escolas.

A superintendente de Ensino Médio da Seduc Goiás, professora Osvany Gondim, frisa que o programa tem dados bons resultados graças ao esforço e empenho das Coordenações Regionais de Educação, dos gestores escolares e dos mediadores. “Tem dado muito certo, especialmente por manter o vínculo dos alunos com a escola”, acrescentou ela.

Para o diretor Enivaldo Pinheiro da Silva, do Colégio Estadual Francisco Modesto da Silva, o GoiásTec é um programa que eleva muito a qualidade do ensino ofertado aos alunos do Ensino Médio. Ele destaca também a qualidade das aulas e a linguagem utilizada pelos professores no estúdio. “É um diferencial e tem agradado demais os estudantes”, diz ele.

A escola da qual Enivaldo é diretor tem 15 alunos matriculados no programa. A maioria reside no distrito de Ponte Alta do Araguaia, distante 56 km da cidade de Montes Claros, já perto da fronteira de Goiás com o Mato Grosso. Na opinião do gestor escolar, a entrega dos novos equipamentos vai incentivar a chegada de novos estudantes.

“O GoiásTec é uma experiência extraordinária quando se fala em levar ensino de qualidade para alunos de um distrito. Porque é uma dificuldade muito grande levar profissionais para atenderem esse público em um lugar tão distante de tudo”, resume ele.  

Vulnerabilidade

Os investimentos que o Governo de Goiás tem feito no fortalecimento do programa são fundamentais para combater a evasão e o abandono escolar na zona rural, conforme explica a professora Maria Ivone de Oliveira Batista, diretora do Colégio Estadual Josino Silva, em Amaralina.

“Nossos jovens precisam muito desse apoio, pois muitas vezes falta alimento em casa, falta estrutura familiar, falta recursos para comprar o básico”, comenta ela, lembrando que, nesses casos, somente a educação é capaz de mudar a realidade dessas famílias a médio e longo prazos. “Acompanho esse programa de perto e por isso posso afirmar que o GoiásTec tem feito uma transformação na vida de nossos alunos”, acrescenta.

Maria Ivone é gestora de uma unidade escolar que tem 40 estudantes na 1ª e 2ª série do Ensino Médio, residentes no assentamento Água Fria, distante 90 km de Amaralina, a cidade mais próxima. Segundo ela, o programa garante o acesso à educação para jovens de uma região de alta vulnerabilidade social, que agora tem recebido “um olhar muito atento do Governo de Goiás”.

Inclusão

Implantado em 2020, o programa GoiásTec tem como objetivo principal ofertar Ensino Médio por mediação tecnológica aos alunos que residem em regiões de difícil acesso, como povoados, distritos, assentamentos e comunidades quilombolas e indígenas. Nesses locais, tradicionalmente, há um grande déficit de professores pela dificuldade de acesso.

A proposta do programa é transmitir aulas ao vivo, com os professores regentes dos componentes curriculares em um estúdio de gravação em Goiânia, enquanto os alunos assistem as aulas na escola. Na sala de aula, os estudantes contam com o auxílio de um professor mediador, que é o responsável por intermediar a comunicação deles com o professor regente.

A primeira turma do GoiasTec será formada em 2022, quando será realizada uma avaliação do impacto da aprendizagem e verificadas as taxas de evasão e abandono. A partir desses resultados, conforme a secretária de Educação, será possível pensar na ampliação do programa para o Ensino Fundamental 1, sob a responsabilidade dos municípios.


Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.