Fale Conosco

62 3220-9500

Tags:, , , ,

Governo de Goiás lança programas para garantir Educação híbrida na rede estadual

educacao
28 de maio de 2021
Governo lança programas Conectar Goiás e Internet Conectada

Programas lançados pelo governador nesta sexta-feira (28/5) vão ampliar Internet de alta velocidade nas escolas e financiar o acesso de estudantes a conteúdos didáticos online
 
O governador Ronaldo Caiado lançou nesta sexta-feira (28/5) dois programas para garantir a Educação no regime híbrido na rede pública estadual. Os programas Conectar Goiás e Internet Patrocinada vão ampliar o acesso à Internet de alta velocidade em todas as escolas estaduais e financiar o acesso dos estudantes a conteúdos didáticos online no aplicativo NetEscola, da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).
 
Os dois programas criam condições para a retomada parcial das aulas presenciais, em regime híbrido, no segundo semestre deste ano, após a vacinação dos profissionais da Educação. “Não podemos admitir, neste momento, com a situação que nós estamos vivendo há mais de um ano e dois meses, que as crianças não tenham a oportunidade de voltar às aulas presenciais e os professores não sejam imediatamente vacinados”, afirmou o governador.

Internet Patrocinada

Estudante usando NetEscola
Estudante do Ensino Fundamental da rede pública estadual usa aplicativo NetEscola para estudar em casa

O programa Internet Patrocinada consiste em um sistema de cobrança reversa, no qual o Governo de Goiás irá custear o consumo de dados móveis dos estudantes no aplicativo NetEscola. Dessa forma, os estudantes poderão acessar gratuitamente conteúdos didáticos, videoaulas e listas de atividades no aplicativo.
 
Para que a isenção seja aplicada, o aluno deverá informar, no aplicativo, seu login e sua senha, que serão fornecidos pela escola.

Conectar Goiás

Professora em aula remota
Professora em aula remota no Colégio Estadual Israel Amorim, em Iporá

Já o programa Conectar Goiás vai destinar às escolas estaduais, mensalmente, recursos proporcionais ao número de estudantes matriculados. Os valores variam entre R$233,00, para escolas com menos de 210 alunos, e R$300,00, para as escolas com mais de 1700 estudantes. Com essa verba, a escola deverá contratar um link de Internet com velocidade capaz de atender todos os seus alunos e professores.
 
O programa conta com investimento estadual de R$4,8 milhões. Ele tem o objetivo de garantir uma boa conexão nas salas de aula, possibilitar a realização de aulas híbridas nas escolas e favorecer o uso pedagógico das tecnologias digitais.

Educação Conectada X Conectar Goiás

Estudantes em laboratório de informática - Colégio Estadual Aecio Oliveira De Andrade
Estudantes em laboratório de informática do Colégio Estadual Aécio Oliveira de Andrade, em Goiânia

O superintendente de Tecnologia da Seduc, Bruno Marques, explica que o Conectar Goiás servirá para complementar os recursos federais do programa de Inovação Educação Conectada, que contempla atualmente cerca de 900 escolas da rede estadual.
 
“O Educação Conectada, do governo federal, não é para 100% das nossas escolas”, destaca Bruno. Segundo ele, nas escolas já contempladas pelo programa federal, “os dois programas poderão funcionar simultaneamente, sendo o Educação Conectada destinado a compra de equipamentos e o Conectar para a contratação de links de Internet. A diferença é que nós vamos trabalhar com um suporte técnico mais próximo das escolas, acompanhando a qualidade do que está sendo aplicado lá”.

Como cadastrar sua escola no Conectar Goiás

Cada escola da rede estadual deverá realizar um cadastro prévio no site www.conectar.educacao.go.gov.br e informar as atuais características de acesso à Internet, indicando, por exemplo, a velocidade da Internet disponível na unidade e os provedores que atendem a sua região.
 
Essas informações serão analisadas pela Superintendência de Tecnologia da Seduc, que verificará qual provedor gerará o melhor custo-benefício à escola, considerando a qualidade do serviço e o valor.
 
A orientação é que, antes da contratação, seja feito o cálculo da velocidade mínima a ser contratada. Esse cálculo considerará a quantidade de alunos presentes no período com o maior número de matriculados multiplicada por 200 Kbps.
 
Por exemplo: uma unidade escolar cujo maior número de alunos matriculados por período seja 100, deverá contratar um circuito de Internet com velocidade mínima de 20 Mbps (considerando que 1000 Kbps corresponde a 1Mbps).
 
Nessa primeira fase, todo o controle e monitoramento do programa será feito pelo site www.conectar.educacao.go.gov.br. Na página, além dos orçamentos realizados, as escolas beneficiadas deverão registrar as informações relacionadas à contratação dos serviços e os comprovantes mensais de pagamentos.
 
Além disso, no site, estarão disponíveis opções para que as unidades solicitem o suporte técnico da equipe de tecnologia da Seduc, o que contribuirá para uma maior agilidade na resolução de problemas tecnológicos e em equipamentos.