Fale Conosco

62 32016727

Tags:, ,

Comunidade escolar decide transformar o Colégio Estadual Michelle do Prado em escola de tempo integral

educacao
7 de janeiro de 2020

Colégio de Aparecida de Goiânia é uma das 25 escolas goianas que vão entrar, em 2020, no Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI) do MEC

Depois de realizar uma consulta pública à comunidade, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por meio da Coordenação Regional de Educação (CRE) de Aparecida de Goiânia, decidiu transformar o Colégio Estadual Michelle do Prado Rodrigues, localizada no Jardim das Hortensias, em um Centro de Ensino em Período Integral (Cepi).

Na segunda-feira e na terça-feira, dias 6 e 7 de janeiro, uma equipe da CRE de Aparecida de Goiânia conversou, na escola, com os gestores, professores e pais de alunos da unidade escolar para explicar o projeto de tempo integral da rede estadual e ouvir a população.

De acordo com a coordenadora da CRE, Núbia Farias, a mudança foi acolhida positivamente por boa parte da comunidade. Houve também uma parcela de estudantes e pais que se posicionaram contra a integralização da escola, mas esses poderão ser atendidos por cinco escolas da região que funcionam em período parcial.

Outras opções

“Parte da comunidade aceitou e parte não, mas existem outras opções próximas para quem não quer estudar em uma unidade de tempo integral”,  explicou Núbia, referindo-se aos colégios estaduais José Lopes Rodrigues, Buriti Sereno Garden, Villa Lobos e Maria Rosilda Rodrigues e ainda a Escola Estadual Simino Rodrigues de Siqueira, todas a 3 km ou menos de distância do Colégio Estadual Michelle do Prado Rodrigues.

Os estudantes de Ensino Médio que optarem pelo ensino em período parcial e os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) poderão ser atendidos por essas unidades, conforme a preferência do aluno e a disponibilidade de vagas.

Todas essas unidades escolares possuem também o Ensino Fundamental e vão atender a demanda de estudantes do 6º ao 9º ano na região. A partir de 2020, o C. E. Michelle do Prado vai oferecer somente o Ensino Médio em tempo integral. “Mas nenhum aluno vai ficar sem escola”, ressaltou Núbia Faria.

Segundo a coordenadora, havia no ano passado 177 alunos do Ensino Fundamental, que já estão sendo reordenados para outras unidades escolares. A coordenadora também afirmou que a Escola Municipal Caraíbas, que fica a 1 km de distância do C. E. Michele do Prado Rodrigues, possui Ensino Fundamental e já garantiu à Seduc que vai abrir vagas para receber os estudantes.

Meta de integralização

Núbia Faria lembra que a integralização das escolas parte de uma diretiva do governo federal. O Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014, prevê que, até 2024, 50% das escolas públicas devem oferecer ensino em tempo integral. Além disso, o Ministério de Educação (MEC) anunciou no Compromisso Nacional pela Educação Básica, a meta de aumentar, até 2022, o número de matrículas em escolas de tempo integral de 230 para 500 mil.

A Seduc, neste momento, tem uma lista de 42 escolas de Ensino Médio que atendem a todos os critérios do MEC para se tornarem escolas de tempo integral. Dessas 42 serão selecionadas 25 unidades, com a aprovação da comunidade escolar, para participar do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI) do MEC e receber recursos para investimento em infraestrutura e formação de professores.

Como funciona o Cepi

No Ensino Médio integral, o estudante fica mais tempo na escola, o turno é único e a programação é distribuída ao longo do dia. As disciplinas que já marcam presença no Ensino Médio regular – como Língua Portuguesa, Matemática e Química – ganham a companhia de outras atividades, desenvolvidas com o apoio dos professores.

Os estudantes têm aulas voltadas para pensar sobre seus sonhos e planejar o futuro e podem escolher algumas matérias complementares (eletivas). O objetivo é contribuir com a descoberta de novas habilidades, preparar o jovem para o Enem e para a vida.

Saiba mais sobre o ensino médio integral aqui.