Tags:, , , ,

Secretaria de Estado da Educação lança projeto ‘Aprender para Avançar’ para correção de fluxo no Ensino Fundamental

educacao
3 de junho de 2019

Projeto visa corrigir distorções escolares. Aula inaugural foi realizada no Colégio Estadual Roberto Civita

A Secretaria Estadual da Educação (SEDUC) lançou nesta segunda-feira (3/6), o projeto “Aprender para Avançar”. A iniciativa da Superintendência de Ensino Fundamental (SEF) teve sua aula inaugural no Colégio Estadual Roberto Civita, no Residencial Kátia, em Goiânia. A proposta do projeto é corrigir distorções escolares (correções de fluxo), principalmente nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano).

O objetivo com a implantação deste programa é combater a exclusão de estudantes multirrepetentes ou que abandonaram os estudos por algum tempo. Há casos também que oportuniza aos alunos cursarem dois anos letivos em um ano, com possibilidade de avanço de acordo com o desempenho, assegurando assim a correção dessa distorção idade/ano escolar.

A superintendente de Ensino Fundamental da SEDUC, Gisele Pereira Faria Campos, explica que serão aplicadas metodologias pedagógicas inovadoras, que vão contribuir para garantir avanços na aprendizagem dos alunos. “O trabalho do professor é que vai fazer a diferença, porque esses alunos normalmente vêm de históricos de reprovação, evasão, mudança de endereço ou outros fatores que não permitiram que eles continuassem os estudos. É preciso, então, que seja feito um trabalho diferenciado para incentivar, fortalecer a autoestima, mostrar que esse aluno é capaz e que a sala de aula é um espaço colaborativo. Tudo isso para que ele fique na escola, não abandone mais os estudos e consiga acompanhar os seus pares”, ressalta.

O projeto começará a ser desenvolvido em 20 das 40 Coordenadorias Regionais de Educação (CRE) do Estado e atenderá inicialmente mais de 1.200 alunos. Cada turma deve ter, no mínimo, 15 e, no máximo, 25 alunos, para que as metodologias ativas de ensino sejam aplicadas de maneira eficiente.

Metodologia atual

A diretora do Colégio Estadual Roberto Civita, Neimar Moreira da Silva, destacou que a comunidade educacional recebeu o projeto como um presente. “É um crescimento, pois aumenta o incentivo, a expectativa de estudo. Para a escola está sendo algo inovador e de grande crescimento pessoal para nossos alunos”. Na escola existem cerca de 40 alunos de 7° e 8° anos que serão atendidos pelo projeto.

O projeto “Avançar para Aprender” traz metodologias atualizadas e se baseou em dados que mostram a necessidade de implantação do programa diante da defasagem escolar. Segundo o Censo Escolar de 2017, entre as problemáticas relacionadas com o baixo desempenho e evasão escolar, a distorção idade/ano é um dos principais desafios. Os dados também apontam que cerca de 14% dos estudantes do Ensino Fundamental nos anos iniciais e 29% nos anos finais encontram-se em distorção escolar no Brasil. Em Goiás, 18,4% dos estudantes das redes municipal e estadual, totalizando 164.836 alunos, encontram-se em distorção idade/ano, conforme aponta dados do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (INEP).

De acordo com dados da SEDUC de 2017, do total de estudantes matriculados no Ensino Fundamental, 7,4% nos anos iniciais e 24,2% nos anos finais, encontram-se em distorção idade/ano escolar. Este percentual significa 53.520 estudantes nos anos finais do Ensino Fundamental, que se encontram por motivos diversos fora da idade em seu percurso escolar. Frente a esse cenário, o projeto “Aprender para Avançar” busca reverter esta situação.