Tags:, , , , ,

Governo de Goiás anuncia pagamento do Auxílio-Alimentação de fevereiro na folha de agosto

educacao
14 de agosto de 2019

Medida vai beneficiar quase 39 mil servidores da rede estadual de ensino. Valor total a ser pago é de aproximadamente R$ 18,7 milhões

O governador Ronaldo Caiado, por meio da Secretaria Estadual da Educação (Seduc), anunciou nesta quarta-feira (14/08), uma boa notícia para os servidores da Educação estadual. Está confirmado o pagamento retroativo do Auxílio-Alimentação do mês de fevereiro na folha de agosto. O governador ressalta que o pagamento é uma vitória. “Graças ao nosso trabalho e o apoio de cada um, nós vamos poder pagar no mês de agosto pagar o vale alimentação do mês de fevereiro. Vamos continuar nossa luta em prol da educação. Vitória nossa!”. A secretária estadual de Educação, Fátima Gavioli, destaca que cada trabalhador da Educação estadual receberá, portanto, R$ 500 a mais.

O valor total a ser pago será de aproximadamente R$ 18,7 milhões e o número de servidores beneficiados será de 38.652. O superintendente de planejamento e finanças, Elel de Souza, informa que também terão direito a receber o retroativo os servidores com vínculos rescindidos com a Seduc, mas que constavam na folha de pagamento da Seduc em fevereiro.

Para garantir o pagamento do benefício, será necessário que esses servidores entrem com um processo. Ele orienta que quem for de Goiânia deve procurar a Superintendência de Gestão de Pessoas, instalada na nova sede da Seduc, no Setor Leste Vila Nova, e quem for do interior deve procurar a Coordenação Regional de Educação à qual está vinculado.

Ajuste nas contas

Vale ressaltar que o pagamento do Auxílio-Alimentação na folha de agosto, referente ao mês de fevereiro, só está sendo possível após a adoção de um rigoroso processo de ajuste nas finanças por parte do Governo de Goiás, que adotou uma série de medidas para otimização e economia de despesas em todo o Estado.

Graças a isso foi possível quitar, no dia 1º de agosto deste ano, a última parcela do escalonamento dos salários atrasados de dezembro de 2018, deixado sem empenho pela gestão passada. Somente com salários na Educação, a dívida herdada do governo anterior foi de R$ 295.825.030,61.