Fale Conosco

62 32016727

Tags:,

Em live, ao lado do governador Ronaldo Caiado, secretária Fátima Gavioli faz balanço do cenário atual

educacao
13 de Maio de 2020

Durante a live #GoiasContraCoronavírus, veiculada nesta terça-feira (12/05) pela TV Brasil Central (TBC), ao lado do governador Ronaldo Caiado, a secretária Fátima Gavioli declarou ser favorável à realização do Exame Nacional do Ensino Médio este ano. “Não fazer o Enem seria tirar o sonho de muitos estudantes”, argumentou ela.

A opinião não é pessoal. A secretária se baseia no resultado de uma pesquisa feita recentemente com os alunos concluintes do Ensino Médio na rede pública estadual. A grande maioria se mostrou favorável à avaliação.
Fátima Gavioli destacou que, neste momento, o compromisso da Secretaria Estadual da Educação (Seduc) e do Governo de Goiás é dar todo o suporte possível para que o Enem aconteça com sucesso em Goiás.

“Se o MEC decidiu fazer, a parte que nos cabe é incentivar a participação de nossos estudantes. E Goiás tem feito muito bem o dever de casa, dando aos alunos oportunidades de aprender. Esse ano, inclusive, temos uma grande chance de dobrar o número de aprovados nas instituições de Ensino Superior”.

Metas ousadas
A secretária lembrou que o trabalho na área de educação tem sido levado muito a sério pelo governador Ronaldo Caiado desde o início de sua gestão, em 2019. “As metas são muito ousadas e desafiadoras”, disse ela.

A secretária afirmou que muitas dessas metas já foram alcançadas. Uma delas foi a extinção do quarto turno, conhecido como o ‘turno da fome’, nas unidades educacionais da rede estadual no entorno do Distrito Federal. O problema histórico foi resolvido pelo Governo de Goiás no início deste ano letivo com a construção de novas escolas e a instalação de salas modulares.
Outro desafio que vem sendo vencido, apesar das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado e da crise imposta pela pandemia do coronavírus, é a melhoria das condições físicas das unidades escolares.

Hoje, conforme a secretária, 263 obras estão em andamento e 85 escolas vão ganhar, em breve, quadras esportivas cobertas. Para ela, o grande diferencial  desta gestão é que, quando a obra é anunciada, o dinheiro para a sua execução já está na conta.

“Só com recursos do PDDE Goiás serão mais de 600 escolas que vamos poder mostrar à população o antes e o depois”, frisou Fátima Gavioli. Até o final do governo, a meta é ter reformado 100% das unidades da rede.

Ambiente acolhedor
Para o governador, a reforma das escolas contribui para tornar o ambiente mais bonito, limpo e agradável e isso serve como incentivo para que os alunos tenham vontade de estudar mais e tirar boas notas.
Ronaldo Caiado elogiou mais uma vez a dedicação da secretária de Educação. “Essa mulher trabalha 24 horas por dia, de segunda a domingo. Vive a educação. E já está fazendo uma revolução na rede estadual de ensino de nosso Estado”.

Ao ser informado dos recordes de audiência das videoaulas do programa Seduc em Ação, que está levando conteúdos do Ensino Fundamental e Médio aos alunos por meio da TV Brasil Central e rádios Brasil Central AM e FM, o governador destacou que todos os esforços precisam ser feitos para que os alunos recebam o material durante o período de aulas não presenciais. 

Pró-Escola
Outra boa notícia dada pela secretária foi a liberação da primeira parcela do Pró-Escola, referente ao primeiro semestre de 2020. O dinheiro estará disponibilizado ainda semana.

No balanço de suas ações, Fátima Gavioli fez questão de destacar que a economia feita pela Secretaria de Educação, por meio de diversas ações, entre elas a junção de escolas e de turmas, foi imprescindível no sentido de possibilitar o pagamento do auxílio-alimentação às mais de 105 mil famílias de alunos em situação de vulnerabilidade social.

O benefício foi uma determinação do governador Ronaldo Caiado, logo após a decisão de suspender as aulas presenciais nas escolas da rede estadual  para evitar a disseminação do Covid-19 entre a população. “A primeira preocupação dele foi com a alimentação que deixaria de ser servida aos alunos, pois muitos a têm como principal refeição do dia”, lembrou a secretária.

Conforme ela, Goiás saiu na frente do governo federal e dos outros Estados tanto na iniciativa de pagar o auxílio quanto no valor destinado. “Em Goiás, destinamos R$ 150 por estudante, enquanto São Paulo destina R$ 55 e o Ceará, R$ 80”.

Professores inovadores
A secretária também falou sobre o desafio de ser obrigada a traçar, de forma tão repentina, novas estratégias de ensino para levar aos alunos os conteúdos, de forma não presencial.

Ela frisou que isso exigiu de toda a equipe da Seduc uma capacidade muito grande de pensar ações inovadoras. O que mais a surpreendeu, nesse momento, foi o esforço e dedicação dos professores, bem como o empenho dos estudantes e de suas famílias para que a educação não parasse.”Os professores conseguiram encontrar soluções para tudo isso e decidiram seguir em frente. Fico surpresa com notícias que chegam de professores que foram levar as atividades do aluno, na zona rural, à cavalo. Da professora que mora na fazenda e que para ter acesso ao sinal da internet tem que colocar o celular em cima do mourão da cerca ou ainda do professor que, para incentivar seus alunos, presenteou cada um deles com um bolo confeitado”.

Escola que acolhe
Fátima Gavioli reconhece que o cenário atual é um desafio muito grande para a sociedade. “Não está normal para ninguém. Nem para nós, nem para os professores, nem para os alunos, nem para suas famílias. Mas uma coisa precisa ficar muito clara: não se trata apenas de um processo de ensino-aprendizagem. É um momento de cuidar do outro e a escola está tendo um papel educativo muito importante, levando à toda comunidade orientações e informações, atendendo, ajudando e prestando apoio psicológico”.