Tags:, , , ,

Ações de sustentabilidade marcam comemoração do Dia do Estudante em escola estadual

educacao
9 de agosto de 2019

O Colégio Estadual Dom Fernando I, em Goiânia, apresentou o projeto “Viver com Sustentabilidade e Energia”, desenvolvido por alunos do ensino médio e professores da instituição, na última terça-feira (6). Cerca de 200 alunos participam ativamente da ação, que intensifica a melhoria das práticas de ensino, integrando matérias como física, química e biologia. O projeto abre espaço para o debate a respeito da educação ambiental e promove ações sustentáveis para os problemas existentes na escola e na comunidade.

Em um dos projetos, a água descartada pelo ar condicionado é aproveitada por meio do bombeamento com energia solar, contendo placas fotovoltaicas. Assim, a água é bombeada e utilizada na irrigação do jardim e abastecimento da horta hidropônica, que produz hortaliças utilizadas pela merenda escolar. Ainda na iniciativa, o lixo orgânico produzido na escola é transformado em biogás por meio do biodigestor. A escola tem ainda uma parceria com a Cooperativa de Reciclagem de Lixo (COOPREC), por meio da qual a escola amplia a coleta seletiva e auxilia na geração de renda para famílias da região, e, em muitos casos, para as famílias dos alunos da escola.

O professor de Matemática Charlles de Morais Borges, orientador do projeto de sustentabilidade, afirmou que a ideia nasceu de um inconformismo da diretora com relação ao desperdício de água do ar condicionado. “Foi feita a idealização canalização dessa água e reaproveitamento. Já na ideia de sustentabilidade utilizamos energia fotovoltaica para bombear essa água e dar a ela o destino correto, irrigando a horta e o jardim”, explicou o professor, que coordena também o projeto relacionado ao biogás. “É uma fonte de energia muito crescente em nosso país, em franca ascensão. Os dejetos orgânicos podem ser transformados primeiro em energia térmica pelo biogás, e depois o biofertilizante.”

Charlles destacou ainda a participação e integração dos alunos durante todas as fases do projeto. “Foi surpreendente. Tivemos adesão total de nossos alunos. Todos os projetos aqui realizados foram os alunos que fizeram, nós ficávamos só na orientação e isso muito nos animou”, disse.

A aluna Izabella Costa, da 3ª série do ensino médio, participou dos projetos e ressaltou que foram essenciais para entender na prática a teoria explicada pelos professores durante as aulas. “Nem sempre a gente consegue imaginar como o que o professor está explicando na aula pode ser aproveitado lá fora, na nossa vida mesmo. O reaproveitamento da água, por exemplo, pode ser feito também em casa. Isso faz parte das nossas vidas e ajuda a comunidade em si. Outro fator é o aquecimento da água com o calor do sol, uma coisa que pode ser feita em casa, deixando de usar a energia elétrica, que agride a natureza. Podemos utilizar a natureza a nosso favor e isso é muito importante”, disse animada.

De acordo com a diretora do colégio, Idalisa Brasil, de uma maneira geral, os projetos promovem a aprendizagem. “O ambiente escolar que favorece a aprendizagem didática vem graças a esses projetos paralelos. Então trabalhar a diversidade e a sustentabilidade colabora com tudo isso”, exaltou. Ela disse ainda que as ações de sustentabilidade trabalhadas nos projetos já são comuns na escola, apenas foram aplicadas de maneira específica junto às disciplinas.” Nós estamos trabalhando a captação da água que seria descartada para bombeada por meio da energia solar, o que estimula a plantação das hortas e manutenção dos jardins. Faz parte desse engajamento, aproveitar todo o material, que a gente já faz aqui com os alunos.”

Idalisa ressaltou, ainda, que, além do aprendizado, os projetos paralelos estimulam o trabalho em grupo. “São formados grandes elos entre os seres humanos, de amizade e parceria. As relações humanas e com o meio ambiente se fortalecem quando aprendemos a trabalhar juntos, de maneira gratificante. Os alunos são muito engajados, no projeto de sustentabilidade teremos em torno de 300 alunos envolvidos entre o matutino e vespertino”, ressaltou.