Fale Conosco

62 3220-9500

Tags:, , , ,

Conselho Estadual da Educação aprova documento curricular do novo Ensino Médio

educacao
15 de outubro de 2021
Novo Ensino Médio: documento curricular é aprovado pelo Conselho Estadual da Educação

Documento apresenta os componentes curriculares que deverão ser ofertados pelas escolas de Ensino Médio de Goiás a partir de 2022; novo Ensino Médio será implantado de forma gradativa

O Conselho Estadual de Educação de Goiás (CEE-GO) aprovou, nesta semana, o Documento Curricular para Goiás, etapa Ensino Médio (DC-GOEM). O documenta apresenta os princípios, metodologias e componentes curriculares do novo Ensino Médio que deverão ser colocados em prática nas escolas públicas e privadas de Goiás a partir de 2022.

O DC-GOEM começou a ser elaborado em 2019, pela Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc), conforme a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e com a participação da sociedade. A Seduc realizou uma consulta e duas audiências públicas para mostrar o documento a professores, gestores, estudantes, pais e representantes dos sistemas de ensino e receber sugestões de alteração.

“O nosso documento foi escrito de forma democrática”, afirmou a superintendente de Ensino Médio da Seduc, Osvany Gundim. Somente na consulta pública de novembro de 2019, a Seduc recebeu mais de 20 mil contribuições da sociedade.

Carga horária e currículo do Novo Ensino Médio de Goiás
Carga horária e currículo do Novo Ensino Médio de Goiás

DC-GOEM

Como regulamenta o DC-GOEM, o novo Ensino Médio terá carga horária total de 3 mil horas, distribuídas nos três anos, e 6 horas de aula por dia. Além da ampliação da carga horária, as escolas seguirão um novo currículo que inclui, além das disciplinas obrigatórias, os Itinerários Formativos.

Os Itinerários correspondem à parte flexível do currículo e são formados por aulas de Projeto de Vida, Eletivas (disciplinas escolhidas pelos estudantes) e trilhas de aprofundamento. Cada estudante poderá escolher as eletivas e trilhas de aprofundamento que irá cursar, de acordo com seus interesses e afinidades. Enquanto isso, cada escola precisa oferecer, no mínimo, dois Itinerários Formativos.

O documento curricular do novo Ensino Médio prevê 17 Itinerários Formativos, sendo 2 de cada área do conhecimento, 6 integrados (interação entre duas ou mais áreas do conhecimento) e 3 do eixo técnico-profissionalizante (Administração, Química e Informática).

As aulas de Projeto de Vida são direcionadas para o autoconhecimento dos estudantes e definição de metas e sonhos para a vida pessoal, acadêmica e profissional.

“A gente acredita muito que a implementação do novo Ensino Médio vai fortalecer a aprendizagem do estudante, considerando que ele terá oportunidade de fazer escolhas, de acordo com seus interesses”, afirmou a superintendente.

Implantação do novo Ensino Médio em Goiás

Novo Ensino Médio começou a ser implantado em 2020 em Goiás

Com a aprovação do DC-GOEM, o novo Ensino Médio será implantado em todas as escolas estaduais de Goiás em 2022, nas turmas de 1ª série. O currículo das escolas será adaptado e a carga horária expandida para 6 horas diárias.

Hoje, 62% das turmas de 1ª série do Ensino Médio da rede estadual já trabalham com a carga horária ampliada e todas as escolas de Ensino Médio já ofertam Eletivas e aulas de Projeto de Vida. Além disso, 48 escolas oferecem, de forma piloto, Itinerários Formativos Técnico-Profissionalizantes.

A previsão é de dobrar o número de turmas de Itinerários Formativos Técnico-Profissionalizantes no ano que vem e oferecer, em 2023, todas as trilhas de aprofundamento em todas as escolas estaduais.

A oferta das trilhas de aprofundamento vai coincidir com a 2ª série do Ensino Médio desses novos estudantes, momento considerado mais apropriado, segundo a superintendente Osvany Gundim.

“Quando chegar nas trilhas, que é algo que direciona mais o ensino, o aluno precisa de mais maturidade. Então nós colocamos um trabalho bastante intenso de Projeto de Vida com a 1ª série para preparar o estudante a fazer uma escolha mais assertiva na 2ª série”, explicou a superintendente.